Conhecidos os resultados das eleições autárquicas importa analisá-los, fechar as contas e perspectivar o trabalho a realizar ao longo dos próximos quatro anos.

Assim, a Coordenadora Concelhia de Arouca da CDU torna público o seguinte:

1 – Da leitura dos resultados nacionais das eleições autárquicas constatam-se dois fenómenos, a bipolarização  por um lado,  a personificação dos projectos políticos por outro. A bipolarização sentiu-se, na maior parte do país, entre o PS e o PSD e, em determinados locais, entre o PS e a CDU. A personificação tem hoje particular significado nos designados movimentos de cidadãos que resultam mais de dissidências partidárias e de projectos pessoais do que propriamente de novos intervenientes e novas formas de estar na política.

2 – Os resultados da CDU foram penalizados por estes dois fenómenos, claramente valorizadas pela Comunicação Social, o que conjugado com a proximidade com as eleições legislativas levou a que os resultados da CDU ficassem aquém do esperado. A CDU perdeu 7 presidências de câmara e ganhou 3, em comparação com 2005. Considerado o actual momento, as 28 Câmaras conquistadas e os bons resultados no Porto e Lisboa conferem à CDU um papel fundamental no poder local e fecham positivamente o ano eleitoral de 2009.

3 – Os resultados eleitorais obtidos em Arouca ficam aquém do esperado, uma vez que não elegemos nenhum candidato às assembleias de freguesia, não conseguimos manter o deputado municipal e não foi possível crescer, em relação a 2005, e eleger um vereador. O registo popular do candidato do PS, exercido ao longo do mandato, o efeito Paulo Portas e o tardio lançamento da candidatura CDU e dos respectivos cabeças de lista à Câmara Municipal e Assembleia Municipal revelaram-se determinantes para o resultado final.

4 – A consolidação do trabalho realizado há quatro anos, embora não tenha tido expressão nos resultados de 2009, proporcionou uma melhoria na planificação e execução das actividades da campanha. Com este capital de experiência e de disponibilidade acumulado será possível perspectivar o trabalho político para os próximos quatro anos. A manutenção do blogue, a participação activa nas assembleias de freguesia e municipal e a denúncia e a tomada de posição sobre os problemas do concelho serão as principais frentes de acção. Esperamos que a gestão autárquica do PS, assente numa maioria absoluta, não se transforme num exercício de poder absoluto.

5 – É tempo de fechar o ciclo político de 2009. Nesse sentido recolhemos a propaganda local afixada. Apenas manteremos as estruturas permanentes destinadas à propaganda e informação nacionais. Conforme prometemos, aproveitamos para divulgar as contas (provisórias) da campanha. Gastámos em materiais locais (panfletos, programas, cartazes e estruturas) e em custos com a sede de campanha cerca de 2100 euros. O total de receitas, oriundas exclusivamente dos contributos dos candidatos e amigos, é neste momento de cerca de 1900 euros. Concluiremos brevemente a recolha de fundos e publicaremos as contas finais.

6 – Apesar de no geral a campanha ter decorrido de forma civilizada, lamentámos o facto de terem “desaparecido” a estrutura que tínhamos em Várzea e a faixa que tínhamos na Variante e, ainda, a destruição de um cartaz A1 em Tropeço e do cartaz da estrutura permanente instalada junto à Câmara Municipal de Arouca. Estes elementos serão comunicados à GNR.

7 – Quanto ao futuro podemos deixar a garantia que, mesmo sem eleitos nos órgãos autárquicos, para nós a democracia não cessa.

Arouca e os arouquenses podem contar com a CDU!

  Arouca, 20 de Outubro de 2009
A Comissão Coordenadora Concelhia da CDU

Advertisements