Etiquetas

, , , ,

A Comissão Coordenadora Concelhia de Arouca da CDU, no seguimento da Conferência de Imprensa  e do Jantar Comemorativo da Revolução de Abril do passado sábado, dia 27 de Abril,  torna público o seguinte: 

1 – A Conferência de Imprensa, realizada às 18h00, na Casa do Povo de Arouca, serviu  para  apresentação, à Comunicação Social, da candidatura autárquica 2013 e iniciou-se com a apresentação do mandatário, Manuel Brandão, membro da Comissão Concelhia de Arouca do PCP e candidato da CDU à Câmara Municipal de Arouca em 2005, e dos cabeças de lista à Assembleia Municipal de Arouca, António Óscar Brandão e à Câmara Municipal de Arouca, Francisco Gonçalves.

Francisco Gonçalves  e António Óscar

Francisco Gonçalves e António Óscar

2 – Manuel Brandão caracterizou o projecto autárquico da CDU, identificando as suas marcas identitárias : projecto colectivo, de participação popular, centrado numa perspectiva integrada de desenvolvimento que congrega economia, serviços públicos de proximidade, ambiente e ordenamento do território, acesso ao desporto e à fruição cultural. De seguida apresentou os dois cabeças de lista aos dois principais órgãos autárquicos.

3 – António Óscar Brandão, natural e residente em Rossas, tem 51 anos, é professor na Escola Secundária de Arouca e concorre como independente. É fundador da associação Urtiarda, colectividade com um trabalho exemplar na área do ambiente, mais propriamente no repovoamento (que tem sido alargado a outros rios do concelho) e preservação do rio Urtigosa.

4 – Francisco Gonçalves, 42 anos, é professor na Escola EB 2/3 de Arouca desde 1997. É dirigente sindical do Sindicato dos Professores do Norte e da Comissão Executiva da União de Sindicatos de Aveiro. Militante do PCP, membro do Executivo da Direcção da Organização Regional de Aveiro do PCP e  responsável pela Comissão Concelhia de Arouca. 

5 – Manuel Brandão concluiu a sua intervenção deixando um apelo  aos eleitores – olhem para a candidatura da CDU ignorando preconceitos, vejam os dois cabeças de lista pelas suas capacidades, na certeza de que, elegendo-os, será o concelho a ganhar com o seu trabalho e intervenção.  

Apresent

Fernando Tadeu, Francisco Gonçalves, António Óscar e Manuel Brandão

6 – António Óscar Brandão começou por afirmar que, não sendo militante partidário, é por se rever na proposta e no trabalho do PCP e da CDU, tanto no plano nacional como local, que  aceitou o convite de ser cabeça de lista pela CDU à Assembleia Municipal de Arouca.  De seguida apresentou duas ideias que se comprometeu levar à prática na assembleia municipal:  – centrar o debate nas grandes questões da vida do concelho em detrimento de minudências que muitas vezes monopolizam as sessões da assembleia municipal; – propor a realização de sessões com agenda aberta descentralizadas pelas freguesias, para discutir os assuntos que as populações entendam. Terminou manifestando a sua total disponibilidade no serviço às populações.

7 – Francisco Gonçalves, por seu lado, começou por sublinhar o facto da CDU ser o único projecto autárquico propriamente dito. As restantes forças políticas com implantação autárquica, o que as distingue não é o projecto mas sim a figura que o encabeça. Na CDU apesar da importância do contributo individual  de quem encabeça, as ideias força são  as mesmas num concelho ou noutro. Não são projectos unipessoais.

8 – De seguida apresentou algumas das ideias  da candidatura da CDU. A primeira tem a ver com  um conceito de desenvolvimento no qual a economia, os serviços públicos, o ambiente, o ordenamento do território, o desporto e a cultura são trabalhados de uma forma integrada. Só se fixam populações se estas tiverem condições económicas e de bem estar, condições económicas que neste concelho só podem vir da rentabilização do património existente (natural, histórico, cultural), de serviços públicos de proximidade e de meios e oferta desportiva e cultural acessíveis à população.

 9 – Garantiu a resistência intransigente da CDU ao encerramento e concentração de serviços públicos que, muito provavelmente, o poder central vai procurar aprofundar. Lembrou que hoje, das 20 freguesias, quinze não têm serviço de saúde, oito já não têm estabelecimentos de educação e ensino e agora, com a chamada reorganização administrativa, quatro deixarão em breve de ter junta de freguesia. 

10 – Sublinhou ainda a necessidade de descentralização de competências e verbas para as juntas de freguesia por forma a eliminar a dependência destas em relação ao poder camarário. Afirmou a importância da participação popular como garantia da democracia, lembrando o sucedido nas concorridas assembleias municipais em que se tratou a criação ou não de um único agrupamento de escolas no concelho e a chamada reorganização administrativa, nas quais  não sendo possível conseguir o ideal, a manutenção do que existia,  obrigou, contudo, os autarcas a encontrarem uma solução menos  má.

11 – Concluiu a intervenção dando nota que o programa e as listas serão construídas pelo grupo de trabalho da CDU, cujas reuniões já se iniciaram, e cuja dinâmica e participação crescente marcarão a consolidação da candidatura.

12 – Às 20h00, no mesmo local, realizou-se o Jantar Comemorativo da Revolução de Abril que contou com perto de meia centena de participantes. Durante a confraternização escutou-se a música da época,  assistiu-se a filmes alusivos à data e debateu-se a vida e o país, hoje. Manuel Brandão, na  intervenção política da iniciativa, lembrou, num registo sentido e tocante, os tempos da revolução, o  antes e o  pós 25 de Abril e a necessidade de hoje, com a luta de massas,  recolocar o país no caminho de Abril. Só assim, proclamou, podemos aspirar ao “direito de ser felizes”.

13 – Concluiu  a intervenção com a referência ao poder local democrático e à sua marca indelével de Conquista de Abril, aproveitando para apresentar, agora ao público em geral, os  cabeças de lista da CDU à Assembleia Municipal e à Câmara Municipal de Arouca, apelando à participação dos presentes na construção da candidatura e das listas da CDU, porque a CDU é um projecto de participação  iminentemente popular.

Arouca, 29 de Abril de 2013

.

Ver: “Francisco Gonçalves”

Ver: “António Óscar Brandão”

Anúncios