Etiquetas

O meu amigo Luís Fazenda que, à semelhança do seu camarada Francisco Louça, traz engatilhado um debate em Aveiro sobre «Tudo o que sempre quiseste saber sobre o Bloco», perdoar-me-á que, mais uma vez, me deite no divã da sua casa: quero lá eu saber daquilo que sei ou não sei sobre o Bloco, estou farto de política!

Eu sei que tudo é política, aliás o próprio Luís já, na altura, citava-me Szymborska a propósito: «mesmo caminhando contra o vento / dás passos políticos / sobre solo político». Mas estou farto de António Costa, de Passos Coelho, do Marcelo, da Cristas, da Catarina, de todos eles (inclusive, das modestas migalhas do Jerónimo), dos impostos, do défice, da crise, de  manifestações taxistas, de conferências intelectuais.

Por isso, decidi hoje falar de algo realmente importante: nasceram três borrachos no pombal da Escola C+S de Canas de Senhorim, onde ambos demos aulas. Já se suspeitava que alguma coisa estivesse para acontecer, pois os alunos ficavam, nos intervalos, pregados à rede do velho pombal, olhando lá para dentro, atentos à inusitada actividade junto dos ninhos dos casais de pombos e fugindo em correria para debaixo do coberto sempre que o pombo-macho, sentindo as suas crias ameaçadas, descia sobre eles em voo picado.

Agora os novos «alunos» já voam. Fico a vê-los a ir e vir, procurando laboriosamente comida, o círculo dos olhos avermelhados pesquisando o vasto mundo escolar ou, se calha de sentirem que os observamos, fitando-nos com curiosidade, a cabeça ligeiramente de lado, como se se perguntassem: «E estes, quem serão?»

Em breve, estenderão as suas asas por cima da antiga mina da Urgeiriça e dos extintos Fornos Eléctricos, onde o Luís (então, já destacado dirigente da UDP) pousava, também, nesses territórios a sua jovem e vibrante existência. E eu tenho uma certeza: não, nem tudo é política; a política é só uma ínfima parte, a menos sólida e a menos veemente, daquilo a que chamamos impropriamente vida.

Daí que, hoje, só me levantaria do divã do Luís Fazenda, se ele e o Francisco Louçã, me viessem falar de tudo o que eu quis sempre saber para lá do Bloco.