Etiquetas

mapa-variante__Mais de doze anos depois de inaugurada a 1ª fase,  foi noticiado, na semana passada, o lançamento do concurso público para a construção da 2ª fase da via estruturante Arouca-Feira, na realidade a construção de um trecho de ligação de Escariz à A32.

A construção deste trecho, sendo positiva, não esconde que se está longe da conclusão do projecto inicial, uma vez que fica a faltar a ligação da ponte da Ribeira a Escariz e a ligação ao nó da A1. 

A nível local, para lá da habitual acção de (auto)propaganda, está-se  perante uma operação mistificadora  e de encenação de uma tentativa de saída airosa do actual Presidente da Câmara, o mesmo que afirmava, em 2009, ser o único que podia e asseguraria  a conclusão da “mãe de todas as obras”. 

Importa sublinhar que só quando concluído todo o trajecto da Variante é que esta, finalmente, poderá cumprir o seu grande objectivo – uma ligação rápida, para norte e para sul, ao principal eixo viário do país, a A1.

A Comissão Concelhia de Arouca do PCP, não tendo nenhuma objecção de princípio à utilização dos Fundos Europeus, continua a afirmar que estes por si só são insuficientes para responder às necessidades do país, para além de introduzirem condicionantes supranacionais às opções estratégicas de investimento que cabem a Portugal. Reiteramos que só através do relançamento do Investimento Público Nacional será possível responder aos anseios das populações em geral e de Arouca em particular.

Defendemos, também, que para encontrar recursos a este desiderato urge renegociar a dívida, rejeitar as regras da União Económica e Monetária e garantir o controlo público da banca comercial. Não sendo assim, mais promessa menos promessa, continuaremos, olimpicamente, a aguardar a conclusão da Variante.

 

Arouca, 15 de Fevereiro de 2017

A Comissão Concelhia de Arouca do PCP

.

.

.

Anúncios