Etiquetas

Francisco Gonçalves, Deolinda Brandão e António Óscar

O Parque Municipal foi o palco da apresentação da candidatura da CDU às eleições autárquicas de 2017. Foram apresentados os dois cabeças-de-lista à Câmara e Assembleia Municipal, numa cerimónia realizada no passado dia 17 de junho.

Francisco Gonçalves, de 46 anos, é o candidato da Coligação Democrática Unitária à presidência da Câmara Municipal de Arouca. Natural de Barcelos, é professor do Agrupamento de Escolas de Arouca desde 1997, dirigente do Sindicato de Professores do Norte e da Comissão Executiva da União de Sindicatos de Aveiro.

António Óscar Brandão, de 55 anos, natural de Rossas, é professor de história na Escola Secundária de Arouca e foi apresentado como cabeça-de-lista à Assembleia Municipal.

Foi também apresentada a mandatária do partido, Deolinda Martins Brandão, de 61 anos, que já exerceu funções no Ministério dos Negócios Estrangeiros e no Banco de Desenvolvimento Social do Conselho da Europa.

“Muitos anos passaram desde que frequentei a escola primária em Rossas. São esses tempos, esses sítios onde crescemos que nos deixam uma marca para sempre. A Arouca de hoje é muito diferente da Arouca de há cinquenta anos, mas mantém muita da identidade, identidade que importa preservar”, referiu a mandatária, enumerando as razões que a levaram a aceitar o convite da CDU.

“Hoje, ao fim de muitos anos de vida profissional enquanto funcionária na área diplomática por terras de França, regressei a Arouca e aqui pretendo dar um contributo cívico na vida da comunidade. E esta é uma forma de o fazer”, sublinhou.

Deolinda Brandão falou ainda sobre as questões ambientais que a CDU pretende “trazer à discussão”, nomeadamente matérias como o “ordenamento florestal, os recursos hídricos e a agricultura local”.

António Óscar Brandão começou por afirmar que “a igualdade, a liberdade, uma mais justa repartição da riqueza e a defesa do Estado Social são os valores com os quais me identifico e as principais razões porque aceitei ser de novo, e com muito orgulho, candidato da CDU à Assembleia Municipal”.

O candidato considera que poderá ser uma mais valia para ajudar a solucionar alguns problemas do concelho. “Sou de Arouca, conheço a Terra, e conheço muitos dos problemas que afetam o concelho e acho que por aí poderei dar o meu contributo para ajudar a solucionar alguns desses problemas”.

A última intervenção foi de Francisco Gonçalves que relembrou que “a CDU é um projecto nacional que tem expressão local”.

“O poder local democrático é uma forma de democracia muito mais participativa do que os órgãos de poder central, porque as pessoas além de estarem mais próximas dos autarcas, têm a possibilidade de poderem participar nas reuniões, colocar questões e sugerir soluções”, afirmou.

O candidato à presidência da Câmara Municipal considera ainda que não está apenas em jogo a questão de saber quem será o próximo presidente da Câmara.

“No dia 1 de outubro o povo de Arouca vai eleger centenas de autarcas e não apenas saber quem vai ser o presidente da Câmara Municipal, se a Margarida Belém ou o Fernando Mendes”.

Francisco Gonçalves terminou revelando alguns dos pontos que a campanha da CDU se propõe a abordar, afirmando que “se houver eleitos da CDU, eles não vão passar 4 anos calados, sem levantar os problemas e sem apresentar as ideias que defendemos”.

“Vamos procurar fazer uma campanha chamando à atenção para alguns problemas que nós temos, seja as questões relacionados com o ambiente, com os rios, com o ordenamento da floresta, com a concentração escolar e com a descentralização de competências”, sublinhou.

No final da apresentação, houve ainda tempo para um debate entre os candidatos e o público presente.

.

in “Discurso Directo” a 19 de Junho

.

Anúncios